Menu

Translate - Traducir

30/04/2012

Nação África



~~~⊰✶⊱~~⊰✵⊱~~⊰✴⊱~~⊰❄⊱~~⊰❉⊱~~⊰❆⊱~~~

Zebra observada pelo leão

Lebre pelo gavião

Hienas causando confusão

Aos moradores da região

Nação África, terra de muita cultura e informação

Onde a alegria vive na canção


Povo de incrível imaginação

Que me convida a viajar com gratidão



Bato minhas asas e para bem alto vou voar

O sol forte aquece e clareia aquele lugar

Sinto cheiro de alimento no ar

Lugares incríveis à se alcançar


A noite vem chegando

O movimento aumentando

Milhares de vozes conversando

Muito difícil decifrar

Tanta gente a caminhar

A luz do sol se despediu

A luz da cidade acendeu

Uma placa de publicidade apareceu

Era o político da região

Passando informação

Prometia a todos ajudar

Agradecia a atenção


Bati minhas asas para outro lugar

Um belíssimo palácio pude encontrar

Muita segurança, luxo e organização

Assim era a mansão

Criada para o político hospedar

Suíte enfeitada com ouro e pedras preciosas

Enciclopédias raras com muita história

Um cofre para guardar documentos

Escrivaninha com projetos de alto investimentos

Quando mais a fundo iria olhar

Uma tempestade de areia resolveu chegar

Tive que bater minhas asas daquele lugar

Procurei um local para me esconder

Mas não sabia para onde voar

Cheguei a me perder


Voei por muito tempo sem direção

A quantidade de areia prejudicava a visão

Quando finalmente resolveu acabar

Eu já estava em outro lugar

Não tinha mansão

Nem iluminação

Casas sem colchão, fogão, refrigeração

Tudo feito com improvisação

Antes de dormir, uma humilde oração:

Abençoai o dia de amanhã

Para que não falte o pão

E que eu nunca venha a esquecer

De agradecer por viver

Isto conseguiu marcar

Aquele belíssimo lugar

Não lembro de ter visto alguém agradecer

Pela vida que estava a ter

Só sabiam reclamar

Da vida que estavam a levar

Tinha emprego e boa alimentação

Casa confortável com iluminação

Mesmo assim conseguia reclamar

Quando algo não podia conquistar

O muito para o rico nunca é o bastante

Esta é a verdade que conheci naquele instante

Para quem não tem nada

Qualquer coisa é importante

Para quem tem muito

O pouco é insignificante

Sábio é aquele que não entrega o coração

Para as coisas que tem em sua mão

Mas que saiba usar a imaginação

Para enxergar beleza em farelos de pão


O dia amanheceu e um grupo de crianças apareceu

Não tinham bicicletas nem brinquedos para brincar

A única coisa que tinham eram pedras retangular

Empilharam umas nas outras para um castelo formar

Diziam um dia um castelo construir

Para poderem juntas ali brincar

Enquanto estavam a conversar

Lembrei do belíssimo lugar

Aquele político tinha uma vida de se invejar

Talheres de ouro usados para servir o jantar

Pedras de diamante para brincar

E muitos fome estão a passar

Aquilo despertou minha indignação

Enquanto o político come mel ao pão

Os pobres pedem arroz em oração

Feijão só em ilusão


O político senta em sua mesa para trabalhar

Toma seu doce chá e começa a descartar

Os projetos que nada lhe faz ganhar

No cartaz ele prometia ajudar

Na real só queria enganar


Projetos dignos de admiração

São os vindos da corrupção

Enciclopédias raras o ambiente enfeitando

Todas com origem no contrabando

Pedras valiosas vindas da exploração

Trabalhadores que ganhavam um pão

Vítimas da escravidão

Para enfeitar aquela mansão


Lembrei do cofre com documentação

Só indícios de corrupção

Nomes e telefones

Membros da facção

Todos especialistas na arte da enganação


Onde está a promessa

Seguida por agradecimento?

O político faz festa

Comemorando o investimento

O valor gasto no período eleitoral

É mostrado no jornal

Valor pago com obrigação

Vai pro bolso da facção


Enquanto pessoas não têm o que comer

O político convida seus comparsas para almoçar

Se não existissem corruptos no poder

A África não estaria como está


Cansei de minhas asas bater

Preciso partir deste lugar

Para em meu lar descansar

Lar chamado Brasil, terra de muita cultura e informação

De promessas políticas que nunca cumprirão

Aqui os que tem muito

Também vivem a reclamar

E os que tem pouco

De noite vão orar

Políticos prometem ajudar

Mas estão a roubar

Os impostos que obrigam a pagar

Dinheiro para a saúde e educação

Transporte público e urbanização

Papo furado de eleição

Querem mesmo é viver no bem bão

~~~⊰✶⊱~~⊰✵⊱~~⊰✴⊱~~⊰❄⊱~~⊰❉⊱~~⊰❆⊱~~~


Veja também:

Promessas
Políticas
Avenida
Corrupção
Combater A
Corrupção

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe sua opinião sobre o poema ou blog, isto nos incentiva a continuar o trabalho =)